Músicas que todo mundo odeia, mas mesmo assim sabe cantar!

1. Saia e bicicletinha – Aviões do Forró
O que falar dessa? Depravação acentuada acerca do corpo feminino, mostrando de um modo machista o principal atributo da moçoila. Mas calma ai, que porra é essa? Ela também não pode reclamar né. Se a biciletinha, como é chamada, é realmente dela, DEVERIA SABER que não dá pra andar de saia ué, senão fica tudo à mostra. E depois ainda tenta se prevenir botando uma mão no guidon e outra na calcinha? Ah, pelo amor né! Para de disfarçar e admite logo que você é uma depravada e que gosta que saibam a cor da sua roupa de baixo, porra!


Óia ela aí!

.

2. Leilão – César Menotti e Fabiano
Vamos cantar em uníssono: Eu vou fazer um leilão, quem dá mais pelo meu coração? Beleza, fera. O corpo é seu, mas sinceramente você não acha que tá se oferecendo demais? Críticas para a letra à parte, essa música consegue grudar nos seus pensamentos e impregnar na sua cabeça de uma forma deveras irritante, com um ritmo agradável (não) e uma letra extasiante (não). A solução pra isso? Dá um lance pelo órgão do cara…
.
3. Baba Baby – Kelly Key

Puta merda, essa é coisa rara. O mais legal de tudo é que passa a imagem de uma adolescente gostosa que pega vários carinhas, mas que quer dar loucamente pro professor (vide o clipe – sim eu vi o clipe!). Kelly Key na época conseguiu o que queria. Que todo mundo cantasse e gostasse desse melô, um ode ao superficialismo. Mas o que pouca gente percebeu é que pela história ela deve ter uns 16, então caso o professor passasse o ceról nela, constituiria um caso de pedofilia. Que feio, Kelly, que feio.
PORRA MARCELO NOVAES, BABA BABY

.
4. Baby – Justin Bieber
E falando em Baby, Justin Bieber aparece em qualquer ranking de músicas chiclete com… qualquer música, pra falar a verdade né. Mas essa, como posso dizer, possui uma cola especial. Repetir três palavras simples, seguido de um gemido um tanto quanto suspeito? SUCESSO! E infelizmente hoje em dia pra uma músuca vingar, basta seguir essa receita (o gemido gay é desnecessário). Gente, tenho que frisar que Justin Bieber não é gay. Atenção, ele só PARECE! BEEIBE BEEIBE BEEEIBE UUUUUUUUUUUUOH.
(Nível de ironia na penúltima sentença do parágrafo anterior: 99,5%)

.
5. Créu – MC Créu
Falando em músicas dificeis de decorar, Créu tem que estar na lista. Muita gente vai falar que funk não é música, mas vamos divagando. Pouca gente tem a percepção lírica transmitida de forma subliminar para todos que já ouviram essa melodia tão adorável. Começa num ritmo lento, assim como nossas vidas, e vai acelerando, ao passo que a letra se desenrola acompanhando a existência de todos, que também passa po
r períodos de turbulência e incontinência intestinal, assimilando-se à nós. Mentira! O MC Créu (nome criativo, ôh!) devia estar chapadão quando cagou essa letra. Santa caralhada, só quem é carioca pra saber o que é aturar isso por mais de um ano (sério!).

Te odeio MC Créu! Ou seria Fido Dido?