Antes de Bruno, outros atletas já foram presos, conheça:

O caso do goleiro do Flamengo, Bruno Fernandes, está deixando o Brasil espantado. O atleta é o principal suspeito do desaparecimento de sua ex-amante, Eliza Samudio. Enquanto o caso não é totalmente esclarecido, o goleiro permanece preso e a polícia buscando as respostas.

Caso você não saiba, o Bruno não é o primeiro a ter problemas com a justiça. Confira outros casos de atletas que acabaram atrás das grades.
Mike Tyson
Não é possível falar em boxe sem citar Mike Tyson. Depois de tornar-se campeão mundial dos pesos pesados, Tyson, que chegou a somar mais de 50 vitórias na carreira, começou a colecionar muita confusão fora dos ringues. Em 1992, o boxeador foi condenado por estuprar a modelo Desiree Washington. Em 1995, foi liberado por bom comportamento. Em 2003, Tyson também foi condenado por dirigir embriagado e portar cocaína. Após parar uma fiança, respondeu o processo em liberdade.

Rae Carruth
Rae era um dos mais conhecidos jogadores de futebol americano. Em 1999, ele foi considerado o responsável pelo atentado da sua namorada. Cherica Adams, grávida de 8 meses, tomou quatro tiros de um homem que fugiu em um carro após os disparos. Minutos depois de ser baleada, a garota conseguiu ligar para a polícia e contar que Rae teria sido o autor dos disparos. Condenado por homicídio, Rae ficou preso por 18 anos.
.
.

O.J. Simpson
Simpson tornou-se um dos mais populares jogadores de futebol americano. Mas foi por fatos nada agradáveis que o ex-jogador ficou mundialmente conhecido. Em 1989, ele foi condenado a dois anos de reclusão por abusar da esposa. Em 1994, ele foi formalmente acusado pelo homicídio da sua ex-mulher Nicole Brown e de um amigo, Ronald Goldman. Entretanto, foi declarado inocente. Porém, em 2007, foi preso novamente por roubo a mão armada. Depois de três dias foi solto.

Edinho
O filho do maior jogador de futebol do mundo, o Pelé, não chamou a atenção do Brasil pelo seu talento. Em 1992, o ex-goleiro acabou matando um motociclista durante um racha em Santos. Após ser condenado por seis anos em regime semi-aberto, conseguiu a anulação da pena. Em 2005, Edinho retornou às páginas policiais. Seu nome estava ligado à traficantes, levando-o a ser detido por tráfico.
.
.
.
.

Carlos Monzón
Outro boxeador com problemas com a justiça foi o argentino Carlos Monzón. Carlos era casado com Alicia Muñiz quando ela morreu, depois de cair do segundo andar de sua casa. Em 1998, após investigações, a polícia descobriu que Alicia tinha sido espancada e jogada por Carlos. O boxeador foi condenado a 11 anos